sexta-feira, abril 25, 2008

NOVOS RUMOS
À Luciana Melo

Não quero tristes despedidas,
nem suposições descabidas,
há um longo caminho a seguir.

Andar por onde velhos sonhos
já muito antes habitavam
e apostar alto no devir.

Lembrar os amores possíveis,
deitar na varanda da vida
e estar a pensar no partir

como um desejo satisfeito.
No peito a doce nostalgia
de um grande carinho a fluir.

Um ensejo de novos rumos
no raiar de um dia que surge.

Decidir é deixar-se ir.

(Paulo Cruz - 25/04/2008)

3 comentários:

Alexandra disse...

Oi Paulo, passei pra dar uma olhadinha e gostei do que vi.

Bjs.

Luciana disse...

Decidir é deixar-se ir... que verso lindo! Maravilhoso poema que bem expressou que deixar-se ir é diferente de partir...deixar-se ir...é uma decisão. Muito bem colocado, meu amigo poeta! Parabéns! Luciana

Paulo Cruz (PC) disse...

Meninas, obrigado pelos comentários!

Lu querida, você sabe bem o que é isso, afinal de contas, o poema foi para você.
Felicidades na nova caminhada!
Beijos, beijosss,
PC