quinta-feira, fevereiro 08, 2007

...

MAR-MUNDO

Pelas vagas
velas navegas,
alinhas
nas paralelas
linhas
seu barco,
por onde eu,
inerme, embarco.

Flutuo,
mar adentro
Fluo,
Não sem alento,
sacro intento
anacrônico,
um tanto irônico
paro, atônito.

Um mar-mundo
se desnuda,
profundo.
Fico mudo,
minhas pupilas
dilatadas desatas
num vislumbre único,
de tudo um pouco,
louco por amar
O mar.

(PC - 08/02/2007)

4 comentários:

26571004 disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Pezao disse...

Todos seus poemas são muito bons, mas sinceramente gostei bastante desse!

Alexandra disse...

Oi Paulo, este poema ficou muito bom... quem me dera flutuar... livremente ai ai...

Flutuar...

O que significa INERME??


BJS.

Paulo Cruz (PC) disse...

Oi Ale!

Inerme significa "sem armas", "indefeso".

Não flutue muito não!!! (rsrs)

Beijo,
PC