terça-feira, julho 10, 2007

EU E SÍSIFO

Ambas as pedras rolaram,
Eu e Sísifo corremos.
Não há entre nós ganhador,
nem perdedor haverá;
Eu e Sísifo
limitamo-nos a buscar de novo as rochas.
Abaixo, a montanha tão conhecida
se faz nova a cada investida
e tratamos de trazer aos tropeços,
cada um a sua pedra-castigo.

Não há orgulho entre nós,
somos companheiros de sonho e de sina;
Eu e Sísifo
enganamos a morte e agora,
eternamente condenados a carregar,
com malogro garantido,
o nosso destino,
tivemos uma idéia salutar,
que nos aliviará, talvez:
vamos juntos carregar
uma pedra de cada vez.

(PC - 05/07/2007)

5 comentários:

Alexandra disse...

PC,

Mt bom o poema... mas quem é Sisifo?

Ale

cahoni disse...

Sísifo é um mito grego que foi condenado a levar uma pedra até o alto de uma montanha e toda fez que ele chegava ao cume , a pedra rolava novamente para baixo, obrigando-o à repetir o mesmo trabalho eternamente. Muito legal o poema paulo, parabéns.

abraço

Anônimo disse...

Pois é Paulo... Vc, Sísifo e eu...

Li a história de Sísifo... ele e toda a humanidade estão juntos nessa rsrsrs.

Té +

Ale

Willian Bispo disse...

Sensacional PC,

Eu não li a história de Sísifo, mas li sobre ela no livro de Albert Camus, e realmente vc foi perfeito em suas palavras...

Parabéns.. Gde abraço

Willian

Anônimo disse...

Óia só,

Si-fi-fo do jeitio que ocê screveu aqui docê e desse Sísifo.. si-si-fo anssim de verdade mêmo, pobri de nóis tudo intão.. i eu aqui nus quintu dos infenu, intão mardito deu sô!

E so-si-fo de outru jeito e ocê inda num reparo?

Ai virgi Maria, tomara que seja diferent, tomara que seja mió que só isso!

Há-braço procê com sabor de Mins

Miguer